CCBB São Paulo realiza com entrada franca o IV SPHarpFestival – Festival Internacional de Harpas

De 10 a 12 de abril, quarta a sexta, o Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo apresenta o IV SPHarpFestival – Festival Internacional de Harpas com duas apresentações diárias, às 13h e às 18h, tendo músicos interpretando em harpas clássica, koto (japonesa) e céltica. Os eventos acontecem no teatro com entrada franca.

Destaque para a argentina Soledad Yaya que se apresenta com a soprano Juliana Starling. Soledad viajou em turnê pela OSESP pela Europa, Estados Unidos e países sul-americanos. Juliana é mestre e doutora em canto pela Unesp, tendo se formado na Unicamp. O espetáculo Recordas traz canções brasileiras e argentinas e surgiu da ideia de realizar um duo de harpa e voz em alusão às cordas dos dois instrumentos. A soprano brasileira Juliana Starling e a harpista argentina Soledad Yaya se uniram neste projeto que valoriza a música brasileira e a argentina, apresentando um repertório composto de canções de compositores nativos de ambos os países. O tema, como o título do espetáculo sugere – Recordas [Recuerdas], trata das lembranças de amores, tempos, lugares e sentimentos, como num desejo de relembrar, recordar um passado que já não existe mais. Vídeos https://youtu.be/kbpK2eYooAQ e https://youtu.be/odvapjzogao

O Grupo Seiha  Brasil de Koto tem como objetivo difundir a música do Japão. Vários músicos interpretam obras na harpa japonesa koto: Tamie Kitahara, Marcia Abe, Daisuke Takai, Alejandro Barrios, Alvaro Nishikawa e Alexander Iwami Petzhold, no shakuhachi, instrumento tradicional do Japão em cordas. Tamie Kitahara nasceu no Japão e veio para o Brasil em 1955. Na sua infância estudou koto no estilo Ikuta-Ryu e desde 1982 dedica-se ao estilo Ikuta-Seiha.

O Vento Celta se uniu em 2012 e vai interpretar músicas celtas, medievais e irlandesas. O argentino Dario Andino toca na harpa clássica com Dennis Crepaldi na flauta, Fabio Britto e Débora Ruba ao violino, Fabricio Rinaldi ao violão, Natalia Bueno, violoncelo e Eduarda Rimkievickz, na percussão.

O Duo Floratta vai interpretar trilhas sonoras de filmes de desenhos com a harpa clássica de Tatiana Henna e a flauta de Letícia Castro.

Nando Araújo fará um Concerto Meditativo por meio da harpa céltica promovendo uma vivência estética e terapêutica em um encontro entre as propriedades da harpa e da meditação.          Vários estudos científicos indicam os benéficos efeitos psicossomáticos da meditação, principalmente decorrentes do estresse e da ansiedade. A harpa, como instrumento terapêutico, e a música, com propósitos de cura é utilizada desde a antiguidade em culturas ancestrais como a egípcia, a mesopotâmica         , grega e chinesa. Recentemente vários estudos e práticas têm resgatado a harpa como um instrumento no combate ao estresse físico e emocional, tais como ansiedade, medo, dores crônicas e depressão. Vídeo: https://youtu.be/ZY45Hxi5lJI

Jonathan Faganello tocará rock. Já se apresentou na Itália e Argentina. Atuou com a Orquestra Filarmônica e Sinfônica de Piracicaba, Sinfônica de Rio Claro e Banda Sinfônica de Limeira. Vídeo: https://youtu.be/lYUZx6vRCrU e https://youtu.be/RXS0H-y2IvU

 

Programação:

IV SPHarpFestival – CCBB-SP

De 10 a 12 de abril, quarta à sexta, duas apresentações, às 13h e às 18h.

Dia 10 de abril, quarta-feira

13h – Duo Floratta (Tatiana Henna, harpa clássica e Leticia Castro, flauta) – trilha sonora de filmes e desenhos

18h – Grupo Seiha  Brasil de Koto (Tamie Kitahara, Marcia Abe, Daisuke Takai, Alejandro Barrios, Alvaro Nishikawa, koto e  Alexander Iwami Petzhold, shakuhachi) – músicas japonesas

Dia 11 de abril, quinta-feira

13h – Vento Celta (Dario Andino, harpa, Dennis Crepaldi, flauta, Fabio Britto e Débora Ruba, violino, Fabricio Rinaldi, violão, Natalia Bueno, violoncelo e Eduarda Rimkievickz, percussão) – músicas celtas, medievais e irlandesas

18h – Recordas (Juliana Starling e Sandro Bodilon, canto, Soledad Yaya, harpa) – canções e poesias brasileiras e argentinas

Dia 12 de abril, sexta-feira

13h – Nando Araujo, harpa céltica – Concerto Meditativo

18h – Jonathan Faganello, harpa – rock

Currículos:

Duo Floratta
Tatiana Henna
é intérprete e compositora. É bacharela em Harpa formada pela Faculdade Santa Marcelina e já atuou em orquestras sinfônicas, bandas de rock, projetos audiovisuais e eventos diversos.

Grupo Seiha Brasil

Tamie Kitahara lidara o Grupo Seiha Brasil. Ela asceu no Japão e veio para o Brasil em 1955. Na sua infância estudou koto no estilo Ikuta-Ryu e desde 1982 dedica-se ao estilo Ikuta-Seiha. A partir de 1982 viajou várias vezes ao Japão para aperfeiçoamento nas técnicas dos instrumentos koto e shamisen. Em 1982 ganhou concurso de Minyo (música folclórica japonesa) indo para o Japão e cantando no teatro Budo kan em Tokyo. Em 1996 foi aprovada em exame de aperfeiçoamento, tornando-se mestra e recebendo então o nome artístico Utahito, da escola Ikuta Seiha do Japão. Entre 1995 a 2011 esteve no Chile, na Venezuela, no Paraguai, na Bolívia a convite das respectivas Embaixadas para apresentar músicas tradicionais japonesas. Em 2003 e em 2013 foi ao Japão para participar das apresentações em comemoração dos 90 e 100 anos de fundação da escola Seiha do Japão. No Brasil tem se apresentado com vários músicos e artistas brasileiros de renome como Camilo Carrara, Shen Ribeiro, Gabriel Levy, Ângela Nagai, Valéria Zaidan, Paulo Tatit e com o grupo Mawaca. Atualmente é representante do grupo Seiha Brasil de Koto com 30 membros que realiza, anualmente, apresentações para difundir a cultura japonesa.

 Jonathan Faganello nasceu em Rio Claro, interior de São Paulo. Em 1997 iniciou seus estudos com Harpa Paraguaia, sob a orientação do Argentino José Antônio Britez e desde então desenvolveu seu repertório com músicas típicas da América Latina. Aos 15 anos confeccionou seu primeiro instrumento com o auxílio de seu professor. Em 2004 ingressou como aluno bolsista na Escola de Música de Piracicaba Maestro Ernst Mahle (EMPEM) onde estudou Harpa Sinfônica, sob a orientação da harpista Angélica Vianna. E desenvolveu um repertório mais específico para música erudita. Participou do II, III e IV Festival “Vale do Café” onde teve o privilégio e oportunidade de aprender com renomados harpistas internacionais, como Helga Storck (Alemanha), Maristela Gonzales (Venezuela), Carol Mclaughling (USA) e Marcelo Penido (Brasil), entre outros. Participou também do 6º Encontro Latino Americano de Harpas. Desde 2010 representa o Brasil no Festival Internacional de Harpas do Rio de Janeiro – RioHarpFestival. Já se apresentou na Itália e Argentina. Atuou com a Orquestra Filarmônica e Sinfônica de Piracicaba, Sinfônica de Rio Claro e Banda Sinfônica de Limeira.

 Nando Araujo é filósofo, músico, compositor, escritor e produtor artístico. Sócio-proprietário da Pense Música Produções: arte e educação. Graduado em Filosofia, mestre em Musicologia pelo Conservatório Brasileiro de Música (CBM), Rio de Janeiro. Professor de Filosofia, Filosofia da Música e Ética na Universidade de Ribeirão Preto (Unaerp). Idealizador e apresentador do programa de televisão “Conversa Afinada”, exibido pela TV Universitária. Docente de Filosofia e Música na Escola Waldorf de Ribeirão Preto. Participa de Congressos de Musicologia, como o IASPM-AL (Havana – Cuba), tem dois livros editados: “Quando as Musas Usam Máscaras: ídolos e ideologias em Música” e “Flores Carnívoras: ensaios sobre a estupidez contemporânea”. Tem dois Cd`s gravados:  “No Return” música instrumental autoral e DUO (Harpa e violão). Apresentou-se com a harpa céltica em vários palcos, tais como: Sesc Ribeirão, Sesc Santos, Sesc Vila Mariana, Fnac Ribeirão, Feira Nacional do livro de Ribeirão Preto, teatro Minaz de Ribeirão Preto, Rio Harp Festival (Festival Internacional de Harpa), Festival Fiato al Brasile ( Faenza, Itália).  Nando desenvolve vários projetos envolvendo a harpa: 1) “Celtic Brasil”;  2) “Celtic  Beatles” (quarteto de cordas https://youtu.be/Tj4vR52lWEc);  3)  “DUO”     (harpa e violão https://youtu.be/qVFfO65lxp0); 4) “Pelas Trilhas dos Celtas” http://youtu.be/ZY45Hxi5lJI);  5) projeto “harpa e voz”  (https://youtu.be/IsEVftPO7R4). Na área da educação musical desenvolve um projeto pioneiro no Brasil de ensino de harpa céltica para o Ensino Fundamental da escola Waldorf de Ribeirão Preto.

Espetáculo Recordas

Juliana Starling é mestre e doutora em Música/Canto, ambos pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – Unesp, e bacharel em Música/Canto, pela Universidade Estadual de Campinas-Unicamp. Recebeu orientação vocal das professoras: Hermínia Russo; Martha Herr; Vânia Pajares, Elvira B. Crimi (Academia de Santa Cecília – Roma/Itália); Rita Patané e Maria Luisa Cioni, em Milão/Itália. Apresentou-se em diversos teatros e espaços como: Sala São Paulo; Theatro Municipal de São Paulo; Teatro Colón de Buenos Aires/Argentina; Kurhaus de Wiesbaden, Bad Schwalbach e Limburg (Alemanha), São Goar/Alemanha e no Palácio Foz (Lisboa/Portugal). Desde 2008 integra o Coral Lírico do Theatro Municipal de São Paulo.
Soledad Yaya nasceu na Argentina deu início a fase brasileira da sua carreira ao ser convidada pela Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo para participar de turnês na Europa, Estados Unidos e Sul América. Apaixonada pela harpa, desde os oito anos de idade, formou-se no Conservatório de Música de Córdoba e na Orquestra Acadêmica do Teatro Colón. Logo foi reconhecida no I Concurso Nacional de Jovens Harpistas, conquistando o Primeiro Prêmio: uma Harpa Lyon&Healy. Continuou seus estudos com Oscar do Campo em Buenos Aires e Marielle Nordmann, em Paris. Formada na Faculdade Santa Marcelina, é Harpista da Orquestra Experimental de Repertório do Teatro Municipal de São Paulo, professora de Harpa do Instituto Baccarelli e Diretora Artística do São Paulo Harp Day, projeto pedagógico internacional para difundir o ensino de harpa no Brasil.

Sandro Bodilon
é bacharel em Canto pela Faculdade de Música Carlos Gomes e Mestre em Música/Canto Paulista “Júlio de Mesquita Filho”/Unesp. Seu repertório inclui óperas como: “Bastien und Bastienne”, “A Flauta Mágica”, “As Bodas de Fígaro” e “D. Giovanni” de W. A. Mozart, “O Barbeiro de Sevilha”, de G. Rossini, “Carmen” de G. Bizet, “O Telefone” e “A Médium” de G. Menotti, “Madama Butterfly” d Donizetti, entre outras; além dos musicais “Show Boat” de Kerns, “Candide” de L. Bernstein. É integrante do Coral Lírico do Theatro Municipal de São Paulo, desde 1990, e membro do Núcleo Hespérides de Música das Américas.

O Vento Celta surgiu em 2012 em São Paulo, Brasil, quando dois músicos resolveram unir seus talentos em um belíssimo trabalho. Dario Andino (Argentino), Harpista Internacional, atualmente estudando na FASC. Dennis Crepaldi (Brasileiro), flautista formado pelo Conservatório Musical Villa Lobos, iniciaram assim o duo de Harpa e Flauta. Com o tempo se juntaram ao grupo, Fabio Britto (Brasileiro), violinista formado pela EMESP e pelo Instituto Bacarelli e Fabricio Rinaldi (Brasileiro), multi-instrumentista, cantor e produtor. Em 2015 entra para o grupo a presença feminina, com Natalia Bueno (Brasileira), Violoncelista atualmente estudando na Escola Municipal de Música em SP, Eduarda Rimkievickz (Brasileira) musicista de Percussão étnica e Débora Ruba (Brasileira), Violinista formada pela UNESP. Assim nasce a formação atual, composta de Harpa, Flauta, Violinos, Violão, Violoncelo e Percussão étnica, com lindas interpretações do repertorio celta, medieval e Irlandês.
Dario Andino é músico internacional, argentino. Arranjador, compositor e produtor fonográfico. Pesquisa e leciona a harpa paraguaia desde os 13 anos. Aos 16 anos, foi 1° lugar no festival de música Latino America. Em 1998, ganhou o troféu Tacho ´i como solista de harpa, no Festival de Takuare´e. Em 2004, gravou Harpa Índia; em 2005, Harpa de David; em 2007, Naturalmente Harpa, seu primeiro disco Independente. Recebeu o prêmio Quality Bandeirantes em 2009. Em 2010, 2011, 2013, 2015 e 2016 participou do V, VI, VIII, X, XI RioHarpFestival junto à cantora Cinthia Almeida. O endereço eletrônico www.facebook.com/dario.andino.

 RioHarpFestival

O RioHarpFestival está na sua décima quarta edição e é um evento promovido pelo projeto Música no Museu que enaltece a harpa, o instrumento mais antigo da humanidade – alguns acreditam que ela tenha surgido mil anos antes de Cristo – é envolto de uma vasta simbologia.

A ideia é privilegiar a música de boa qualidade colocando em evidência esse instrumento milenar, sem distinção de procedência, escola ou época; da música medieval aos clássicos europeus, dos românticos aos impressionistas, dos modernos aos contemporâneos brasileiros e estrangeiros.

As apresentações destacam-se pela diversidade de gêneros e estilos musicais que esse instrumento possibilita: clássico, étnico, popular, rock, latino-americana e até o funk.

Consolidado na agenda cultural carioca e paulistana, o RioHarpFestival ganha, a cada ano, cada vez mais espaços, com apresentações ainda em Minas Gerais, Alagoas e no exterior – Portugal (Lisboa e Porto) e Espanha (Madri).

O festival contabiliza, só no Rio de Janeiro, 106 apresentações no total, envolvendo 36 músicos de 25 países e com um público de aproximadamente 25.000 pessoas.

 

Serviço:

 IV SPHarpFestival – Festival Internacional de Harpas

Entrada gratuita, com retirada de senha a partir de 1 hora antes do início das apresentações.

De 10 a 12 de abril, quarta à sexta, duas apresentações, às 13h e às 18h.

Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo

Rua Álvares Penteado, 112 – Centro. São Paulo -SP

(Acesso ao calçadão pela estação São Bento do Metrô)

(11) 3113-3651/3652 | Todos os dias, das 9h às 21h, exceto às terças.

ccbbsp@bb.com.br  |  bb.com.br/cultura  |  twitter.com/ccbb_sp  |

facebook.com/ccbbsp | instagram.com/ccbbsp

 

Acesso e facilidades para pessoas com deficiência | Ar-condicionado | Cafeteria e Restaurante | Loja

Estacionamento conveniado: Estapar – Rua Santo Amaro, 272.

Traslado gratuito até o CCBB. No trajeto de volta, a van tem parada na estação República do Metrô.

Valor: R$ 15 pelo período de 5 horas.

É necessário validar o ticket na bilheteria do CCBB.

Leste Blues do Sesc Belenzinho recebe show de o recente CD de Duca Belintani

O guitarrista paulista Duca Belintani apresenta seu mais recente álbum, How Long (2017), no dia 13 de janeiro, domingo, no Teatro do Sesc Belenzinho, às 18 horas, integrando o projeto Leste Blues da unidade.
No show, Duca Belintani (voz, guitarra e cigar box), se apresenta ao lado de Benigno So

bral (baixo), Ulisses da Hora (bateria) e Ricardo Scaff (gaita), e transita entre o blues do Mississippi e de Chicago. Clássicos como Sweet Home Chicago, Crossroads (Robert Johnson), Baby Please Don’t Go (Big Joe Williams) e How Long (Leroy Carr) fazem parte do repertório, além de composições próprias que integram seu novo disco.

Guitarrista, professor e produtor, Belintani atua no mercado musical há mais de 35 anos. Nos anos

80 foi guitarrista da Banda Controle, com a qual lançou dois discos. Foi sideman do cantor Pop Kid Vinil por seis anos, tendo gravado e produzido o CD XU-PA-KI. Lançou seu trabalho CD solo, MPBlues pela Gravadora Eldorado, em 2000. Seis anos depois gravou Conduzir, trabalho de blues fusion instrume

ntal, e, em 2009, lançou Cuíca, novo trabalho instrumental. Em 2012, veio o disco Na Trilha do Blues em comemoração aos 25 anos de carreira discográfica. Em 2015, Duca Belintani lançou o EP Rota 145 em CD e App para Smartphone e tablets. Em 2017, colocou no mercado seu mais recente álbum, How Long.

Já participou dos principais festivais de blues e de música instrumental brasileiros, entre eles Sesc Jazz’n Blues (SP), Rio das Ostras (RJ), Gravatá (PE), além do  Festival Int

ernacional de Blues de Pergamino (Argentina). Belintani também participou de apresentações em Chicago e Los Angeles (USA).

É o idealizador da série de quatro volumes do método Na Trilha do Blues e tem dois volumes dedicados ao blues pela série Toque de Mestre. Lançou, em 2014, seu novo método d

e guitarra, Na Trilha do Blues. O músico também realiza workshops em todo o Brasil, demonstrando seu trabalho e seus métodos, além dos produtos e marcas que representa como as guitarras Fender (Artist Brasil). Foi colunista das revistas Acústico, Guitar Player, Cover Guitarra, Guitar Load e Free Guitar. É autor da biografia Kid Vinil – Um Heroi do Brasil, lançada em 2015. Na área didática, foi professor pelo Sesc São Paulo e pela Secretaria de Cultura de São Paulo.

O projeto Leste Blues do Sesc Belenzinho contempla o gênero musical popular afro-americano 

surgido no início do século XX, representado em suas mais variadas expressões.


Show: Duca Belintani
Data: 13 de janeiro. Domingo, às 18h
Local: Teatro (392 lugares)
Não recomendado para menores de 12. Duração: 1h30.
Ingressos: R$ 20,00 (inteira); 10,00 (aposentado, pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e servidor da escola pública com comprovante) e R$ 6,00 (credencial plena do Sesc – trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo credenciado no Sesc e dependentes).


Sesc Belenzinho

Rua Padre Adelino, 1000. Belenzinho – São Paulo/SP. Tel: (11) 2076-9700
www.sescsp.org.br/belenzinho

11º Encontro Internacional de Trompetistas da ABT

Nesse ano, mais precisamente de 17 a 21 de Junho, acontece em Campinas (SP) o 11º Encontro Internacional de Trompetistas da ABT (Associação Brasileira de Trompetista). Os encontros da ABT já trouxeram ao Brasil grande nome do trompete em outras edições, tais como; Charles Schlueter (Boston Symphony Orchestra – USA), Ole Antonsen (solista internacional, Noruega), Fernando Ciancio (artista Stomvi, Orquestra del Teatro Colón, Argentina), Adam Rapa (solista jazz internacional), Claudio Roditi (renomado solista jazz, Brasil – USA), dentre muitos outros.A imagem pode conter: texto

Nessa edição o encontro também contará com uma novidade que será a apresentação de um tema para o evento chamado “O trompete Sul-Americano”. Com esse tema será os convidados serão grandes artistas Sul-Americanos. Os nomes logo serão divulgados, por tanto fiquem atentos as publicações nas redes sociais da ABT.

A classe acadêmica também terá espaço no 11º Encontro Internacional aonde haverá uma mesa redonda com a apresentação de trabalhos que serão selecionados por uma comissão.

A imagem pode conter: texto

ABT no Facebook: www.facebook.com/abtrompetistas

Site: www.abt.art.br

Sesc Belenzinho recebe o duo Primos Distantes em show do primeiro disco e de canções inéditas

Formada pelo duo Caio Costa e Juliano Costa, abanda Primos Distantes apresenta-se no dia 11 de janeiro, sexta, no Teatro do Sesc Belenzinho, às 21 horas. O repertório do show é formado por composições do primeiro disco da banda, homônimo, lançado em 2014, e por canções inéditas que farão parte de seu próximo trabalho, em fase de gravação.

Neste show, Caio Costa (guitarra, teclado e voz) e Juliano Costa (bateria eletrônica e voz) sobem ao palco, acompanhados por Renato Medeiros (bateria), Thales Othón (baixo) e Filipe Franco (guitarra e teclado).

O álbum Primos Distantes, que foi produzido por Rafael Castro, trafega pelo rock, pela música popular brasileira e pelo pop. Castro também toca em todas as faixas e canta e assina, em parceria com Juliano, a canção Feio. O ecletismo musical se mistura ao bom humor e a autoironia das letras. Citado em veículos como a revista Rolling Stone, o Guia da Folha e nos sites Embrulhador, Som do Som e Jardim Elétrico, o trabalho colheu boas críticas e teve seu lançamento no projeto Prata da Casa, do Sesc Pompeia.

Em 2015, a dupla lançou Ao Vivo EAEO, disco gravado em show no Epicentro Cultural (espaço de criação e circulação artística) que é um registro ao vivo das canções do primeiro álbum e marcou a entrada da dupla no selo EAEO, idealizado pelo Epicentro Cultural, do qual fazem parte bandas como Porcas Borboletas, Juliano Gauche, Jonnata Doll e Cólera. Além do disco ao vivo, nesse mesmo ano, os Primos lançaram um videoclipe com a canção Feio.

No final de 2016, os músicos participaram da coletânea O Abismo da Alma, em homenagem ao movimento cultural recifense Udigrudi. Em janeiro de 2018, lançou uma versão de Feliz Aniversário, de Guilherme Arantes, faixa gravada para a coletânea Das Verdades que Eu Sabia, em homenagem ao compositor.

Caio e Juliano não são primos, mas amigos que se conheceram, há 17 anos, em uma banda de colégio. Atualmente, eles preparam o segundo disco de estúdio (também com produção de Rafael Castro), que será lançado em 2019.

SERVIÇO

Show: Primos Distantes

Data: 11 de janeiro. Sexta, às 21h
Local: Teatro (392 lugares).

Não recomendado para menores de 12. Duração: 1h30.

Ingressos: R$ 20,00 (inteira); 10,00 (aposentado, pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e servidor da escola pública com comprovante) e R$ 6,00 (credencial plena do Sesc – trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo credenciado no Sesc e dependentes).

Sesc Belenzinho

Rua Padre Adelino, 1000. Belenzinho – São Paulo (SP). Tel: (11) 2076-9700
www.sescsp.org.br/belenzinho